Um Inverno de Cara Fria em Santa Catarina


Por: Léo Borba, jornalista/SC

Catorze municípios registraram temperaturas abaixo de zero na madrugada desta terça-feira. Os municípios de Painel e Bom Jardim da Serra, no Planalto Sul do estado, registraram um frio de -3.8°. O frio também foi intenso em outras regiões do estado (ver relação abaixo) e houve geada forte nas regiões mais altas.

Em manhãs assim, que precisa trabalhar ou ir à escola, tem, além de muita roupa, que dispor de muita coragem. Para manter a casa aquecida, o fogão de lenha é a alternativa mais eficiente e barata.

Nos campos cobertos de gelo, o gado encontra dificuldades para se alimentar. Com a perda de nutrientes nas gramíneas, cada cabeça de gado pode perder até 80 kg durante o período de inverno mais intenso. Isto obriga os pecuaristas a investir nas pastagens de inverno e no armazenamento de alimentos (a silagem) para que, com a chegada da primavera, seja possível uma recuperação mais rápida de peso.

Mas nem tudo é dificuldade. É nesta época do ano que os municípios da serra catarinense recebem o maior número de turistas. Oriundos das regiões mais quentes do País, eles vêm em busca de uma oportunidade de sentir frio. De ver a neve ou o orvalho congelado (a geada).

No mesmo pacote, experimentam a comida típica e o vinho de altitude. Lotam os hotéis e, ao retornar, levam os produtos artesanais. O Município de Urupema é um dos mais procurados. Localizado na serra catarinense, a 207 km de Florianópolis e a cerca de 1.400 metros de altitude, o município detém o título de o Mais Frio do Brasil, com uma temperatura média/ano de 14° C.

No inverno é comum as temperaturas abaixo de zero. As pequenas cachoeiras congelam e as vegetações se transformam em cristais de gelo. No morro das Antenas, ocorre o Sincelo, um fenômeno raro no Brasil, que é o congelamento do nevoeiro (partículas de água em suspensão) atrai centenas de visitantes todos os anos.

O frio também trás benefícios aos pomares de maçã. No período de dormência, necessitam de pelo menos 600 horas de frio abaixo de 7.2° para uma boa floração. Os produtores rurais estimam que a próxima colheita será ainda melhor que a do ano passado.

Pelos dados do Climaterra, site de meteorologia de São Joaquim que monitora o clima na região, esta é a sexta geada neste mês de agosto e 35 dias com temperaturas negativas.

Sexta geada em agosto, 70 em 2018 e 35 dias com marcas negativas/SC e 34 no topo da serra.

Hoje foi o terceiro dia seguido com marca negativa/top da serra, 2016 foram 5 dias/agosto.

Abaixo as mínimas inferiores a 2°C.

-3,8 Painel/F.Keiser e G.Hugen

-3,8 B.Jardim/F.keiser

-3,1 S.Joaquim/F.Keiser

-2,9 Urupema*

-1,8 Urubici*

-0,9 Caçador*

-0,2 Curitibanos/UFSC

0,0 Ibiam* 0,0 Fraiburgo*

0,1 Frei Rogério*

0,3 Lebon Régis*

0,5 Videira*

0,6 Rio das Antas*

0,9 Rio Rufino*

1,1 Vargem*

1,3 Santa Cecília*

1,4 Maravilha*

1,7 Ponte Alta do Norte*

*Epagri

5,0°C Florianópolis*

A meteorologia da EPAGRI/CIRAN informa que esta frente fria está se afastando para o mar, mas já tem uma nova chegando. Isto pode provocar chuvas no meio-oeste do estado, frio nas noites e madrugadas e temperaturas amenas no decorrer do dia.

Fotos: Marleno Muniz Farias/ Prefeitura de Urupema.

© 2017 La Voga Compass

Os colunistas, jornalistas e blogueiros que são colaboradores e parceiros do Lavoga Compass, são os reponsáveis pelo conteúdo das suas publicações neste Portal