Mauro Artur Schlieck

Jornalista | Fotógrafo

Luz do Amaral

Por Mauro Schlieck

 

Acredito eu que não só Joinville, mas cada cidade, cada estado e pedaço de mundo apresenta, em diferentes momentos do dia, ou da noite, ou em diferentes estações, espetáculos de luzes, cores e formas de deixar qualquer fotógrafo trepidando nas botas.

Foi o que aconteceu o outro dia. Para ser mais exato foi em 07/08/2019. Como jornalista, gosto de chegar cedo as minhas pautas. O problema é que neste dia, depois de deixar a minha mulher no seu local de trabalho, eu tinha 1h30 minutos sobrando.

A caminho da pauta, que era registrar a visita de vereadores, membros da Comissão Especial Presídio de Joinville, a cabeça começou a “planejar” como seria àquela cobertura. Sempre é um desafio cada reportagem, pois tudo muda, tudo se movimenta, tudo gira, tudo se transforma.

Já próximo do Presídio de Joinville, resolvi entrar com o carro em uma estrada de chão batido com muita poeira e buracos. Estava próximo das 8h e o sol encontrava dificuldades para furar a forte neblina.

Comecei a imaginar as fotos que poderia fazer com aquele “fog”. O pé começou a ficar pesado no acelerador. O pó e a buraqueira não eram mais obstáculo. Uma aflição tomou conta de mim.

Cheguei na Vila do Morro do Amaral e, como um garoto tímido, perguntei a um pescador se tinha canoas na água. O velho tirou o cigarro do canto da boca e aponto a direção. Ele continuou parado em frente à sua morada, que tinha como quintal a costa do Oceano Atlântico. Pela cara que fez deve ter pensado: “O que este louco faz aqui tão cedo?”

Sem tempo a perder ainda agradeci a Deus pela oportunidade de poder fotografar aquilo tudo. É um recurso que uso para me concentrar, me acalmar. Olha...vou te dizer...dá uma inquietude, uma ansiedade enorme, pois é preciso ser rápido para fazer os ajustes fotográficos como fotometria e composição. Você precisa fazer um equilíbrio entre a razão, que é fazer os ajustes na câmera e a emoção, responsável pela composição. É tudo muito rápido e o fluxo fotográfico ganha ritmo à medida que o sol avança neblina adentro.

Respirei fundo e fiz o que pude! Dê uma olhada na sequência fotográfica que as colegas jornalistas e editoras Ro Wolfl (LaVoga Compass) e Albertina Camilo selecionaram para você leitor (https://1drv.ms/u/s!AvZl-c7lKm3C8HsbZnGFzMkFRnmu?e=F6TxuT) .

 

Aproveitem...!!! Naveguem comigo nestas águas prateadas e calmas, na companhia das sombras anônimas de pescadores e pássaros negros, que pacientemente aguardam sua vez de alçar voo rumo a mais um dia de luta pela sobrevivência.

Lute!!! Viva!!! Olhe a sua volta, mude o caminho da pauta da vida e se surpreenda.

Imagens: Mauro Arthur Schlieck/ todos os direitos reservados

© 2017 La Voga Compass

Os colunistas, jornalistas e blogueiros que são colaboradores e parceiros do Lavoga Compass, são os reponsáveis pelo conteúdo das suas publicações neste Portal