top of page

Boris Johnson disse a Moscou que o apoio à Europa e à Otan" permanecerá incondicional e imóvel".


Foto: Reprodução


Por: Juliana Steuernagel/ Reino Unido


O Reino Unido "não hesitará" em relação à Ucrânia e as sanções estarão prontas se a Rússia invadir, disse o primeiro-ministro Boris Johnson.


Boris também escreveu no jornal inglês The Times que o Reino Unido está considerando o envio de caças da RAF e navios de guerra da Marinha Real para a região, mas disse esperar que a diplomacia possa desarmar a crise.


Os países ocidentais rejeitaram uma série de exigências de Moscou, incluindo a exclusão da Ucrânia de se tornar membro da aliança de defesa da Otan e que reduza sua presença militar na Europa Oriental.


Johnson disse que queria que a Europa e os EUA tivessem suas sanções econômicas já prontas "no momento em que a primeira tropa de soldados russos cruzarem o território soberano da Ucrânia".


"De nossa parte, as sanções britânicas e outras medidas estarão prontas para qualquer novo ataque russo", escreveu ele.


"O governo pedirá ao Parlamento novos poderes para sancionar um número mais amplo de indivíduos e entidades russas, incluindo qualquer empresa ligada ao Estado russo ou que opere em um setor de importância estratégica para o Kremlin".


O Reino Unido e seus aliados da Otan estarão unidos na luta contra a agressão russa “onde e como ela ocorrer”, Boris Johnson concordou com Emmanuel Macron, presidente da França.

bottom of page