top of page

Autoridades militares Britânicas afirmam: " Terceira Guerra Mundial pode acontecer a qualquer momento, exército Britânico precisa se preparar".

Lavoga edição especial: Reino Unido


Imagem reprodução Internet: Soldados britânicos em ação durante a guerra do Iraque


Por: Juliana Steuernagel/ Reino Unido


Autoridades de defesa e segurança militar sênior alertaram recentemente que o Exército Britânico "deve começar a se preparar" para a Terceira Guerra Mundial.


Um grupo de especialistas em defesa e segurança alertou que o exército Britânico deve "se preparar genuinamente para a guerra" para impedir ameaças de possiveis invasões.


A New Bletchley Network disse que a redução das reservas de pessoal do exército nos últimos anos fez com que a força caísse abaixo da "massa crítica nacional".


O aviso ocorre quando questões de recrutamento para impedir as ameaças da Rússia foram levantadas no início deste ano.


Segundo o relatório oficial : ‘A credibilidade do exército britânico foi enfraquecida por mais de 20 anos de diminuição do poder de combate. O moral do exército é frágil". Problema que foi discutido por autoridades durante recente evento da OTAN.

No mês passado, o General Sir Richard Lawson Barrons,oficial aposentado do Exército Britânico que serviu como Comandante do Comando das Forças Conjuntas de abril de 2013 até sua aposentadoria em abril de 2016, também sugeriu que o recrutamento fosse adicionado às opções para repelir um ataque russo.


Sir Barrons alertou que as forças armadas são "tão pequenas em termos de equipamento, tão subestimadas, tão mal apoiadas em termos de ações e engenharia".


"O Exército - sabe disso perfeitamente bem - não está absolutamente pronto para ocupar seu lugar na OTAN em um confronto com a Rússia", acrescentou o general Sir Richard.


Sir Patrick Sanders, Oficial sênior do Exército Britânico servindo atualmente como Chefe do Estado-Maior General desde junho de 2022, disse que o Reino Unido deveria treinar um "exército cidadão", entre outras etapas para colocá-lo em uma "base de guerra" em resposta ao aumento das ameaças.


Sir Richard Barrons, atuou como vice -chefe da equipe de defesa e liderou o Comando das Forças Conjuntas antes de se aposentar em 2016, o recrutamento admitido é "desagradável", disse ele, mas alertou os britânicos para não assumir que a guerra é sempre uma "carta fora do baralho".


Ele acrescentou: "É estranho, mas apenas em nossas vidas, não na vida de nossos ancestrais - meu pai fez o serviço nacional."

"Na mobilização da sociedade civil, você começa com voluntários. Se a guerra não acabar e você ficar sem voluntários, precisa recrutar pessoas ... isso é totalmente historicamente normal."


"Você não está se mobilizando porque invadirá o país de outra pessoa. Você está mobilizando porque alguém está ameaçando o seu - e sua família e seu sustento."


O ministro da Defesa Britânica, Grant Shapps, disse no início deste ano: "Devemos estar preparados para impedir nossos inimigos, preparados para liderar nossos aliados e preparados para defender nossa nação sempre que a ligação chegar".


Rishi Sunak, segundo especialistas, rapidamente derramou água fria sobre a idéia, embora eles tenham alertado que o Reino Unido pode não ter nenhuma escolha se o conflito com Putin se transformar em uma Guerra Européia ou Mundial mais ampla.

Commentaires


bottom of page