top of page

25 pessoas são detidas na Alemanha acusadas de planejar um golpe de Estado


Imagem reprodução ZDF TV


A polícia está denominando a ação do grupo como Terrorismo. Entre os presos estão um "príncipe" e um alemão que já pertenceu ao Batalhão de paraquedismo da Alemanha e que segundo a imprensa tem passa grande parte do ano no Brasil, onde também tem empresas registradas no nome dele no estado de Santa Catarina.


Cerca de 3 mil policiais participaram da operação para prender os integrantes ligados a organização de extrema direita que planejava derrubar o governo alemão através de um golpe armado.


A operação policial foi realizada em 11 dos 16 estados da Alemanha e também em uma cidade da Áustria e outra na Itália , além do Paraguai. Uma juíza que atua em Berlim e é ex-deputada da ultradireita foi detida durante a operação.


Imagem reprodução: ZDF TV


Os promotores alemães identificaram como líderes da organização Heinrich 13º P. R, de 73 anos, e Rüdger von P, de 69 anos.


Rüdger von P., que foi detido na Alemanha, mas passa um grande período do ano no Brasil, é um ex-comandante de paraquedistas e foi expulso das Forças Armadas do país por vender, sem autorização, armas que pertenciam ao antigo exército da Alemanha Oriental e estavam no estoque. Segundo a imprensa ele tem empresas registradas com o nome dele 'em Santa Catarina.


Já Heinrich 13º, pertence a uma família de aristocratas da Alemanha e, por isso, exibe o título de Príncipe.


Denominada pela polícia como organização terrorista, o grupo ligado à extrema-direita tinha como plano invadir o Parlamento em Berlim, com um pequeno grupo armado para tomar o governo da Alemanha.


Segundo os promotores federais a intenção da organização, se o plano desse certo, era declarar como novo líder da Alemanha, Heinrich 13º.


Reportagem: Rô Wölfl/ Alemanha

















Kommentare


bottom of page